1937: "ações" feministas

1937:

Fechar

Título: Manifestação pelo direito de voto das mulheres francesas, 1937

Data de criação : 1937 -

Técnica e outras indicações: Exposição internacional de artes e técnicas, Paris 1937: manifestação pelo direito de voto das mulheres francesas

Local de armazenamento: Site da Biblioteca Nacional da França (Paris)

Copyright do contato: Biblioteca Nacional da França

Referência da imagem: Departamento de Impressões e Fotografia, EI-13

Manifestação pelo direito de voto das mulheres francesas, 1937

© Biblioteca Nacional da França

Data de publicação: março de 2017

Contexto histórico

Ativismo

A vitória da Frente Popular nas eleições legislativas de abril a maio de 1936 sopra um vento de liberdade e progresso social no país. Pela primeira vez, Léon Blum nomeia três subsecretárias de Estado: Cécile Brunschvicg (presidente da União Francesa pelo Sufrágio Feminino, UFSF) para a educação nacional, Suzanne Lacore para a saúde pública e Irène Joliot-Curie na pesquisa científica.

Mas enquanto a Câmara dos Deputados se pronunciava mais uma vez (e desta vez por unanimidade) a favor do voto feminino em 30 de julho de 1936, o governo se absteve e não obrigou o Senado a incluir este texto em seu agenda. Além disso, a influência dos três subsecretários de Estado permanece mais do que limitada dentro de um governo que sai rapidamente: Joliot-Curie (por razões de saúde) após três meses, Brunschvicg e Lacore le 21 de junho de 1937.

Nas associações feministas e sufragistas, o debate foi então relançado entre os partidários de um ativismo "moderado" em busca do apoio dos partidos políticos (UFSF e Liga Francesa pelos Direitos da Mulher, LFDF) e aqueles que , como Madeleine Pelletier ou Louise Weiss (à frente de sua associação A nova mulher, criadas em 1934) denunciam a “passividade” das primeiras, preferindo desafiar as instituições e tomar caminhos mais “radicais” inspirados nas sufragistas anglo-saxãs.

No período 1936-1937, várias "ações" foram organizadas dessa forma, com o objetivo de chamar a atenção da imprensa e marcar a opinião pública.

Análise de imagem

Uma demonstração sufragista na Exposição Universal.

De 25 de maio a 25 de novembro de 1937, foi realizada em Paris, no Champ-de-Mars e nos jardins do Trocadéro, a Mostra Internacional de "Artes e Técnicas Aplicadas à Vida Moderna" (ou Exposition Universelle). É neste contexto que a cena do Manifestação pelo direito de voto das mulheres francesas, 1937, que representa a realização de uma manifestação sufragista.

Perto de um edifício moderno envidraçado (provavelmente um dos pavilhões da Exposição) e com a Torre Eiffel (modernizada para esta ocasião) ao fundo, vemos Louise Weiss (visível no centro da imagem, atrás de um micro) cercado por vinte ativistas. Três deles estão segurando cartazes impressos por A nova mulher (visível no topo da folha) que indicam em maiúsculas que "a francesa deve votar".

Entre os presentes estão mulheres de todas as idades, muitas das quais estão sorrindo ou olhando para as lentes (primeiro plano, à direita; mulher à direita de Louise Weiss). Notamos também a presença de dois homens (à esquerda em primeiro plano, à direita na segunda fila), bem como o traje bastante moderno (calça e top estampado) de uma jovem ativista (logo à esquerda de Louise Weiss).

O grupo que posa para o fotógrafo deste press shot é capturado como um todo que formaria um corpo (para defender uma causa comum), distribuído em um arco de cada lado de Louise Weiss, figura central (literalmente e figurativo) deste encontro propositalmente organizado.

Interpretação

"Jogando o feminismo na arena das notícias"

Esta foto mostra uma das "ações" realizadas por Louise Weiss e os membros do o nova mulher, bem como seus termos. São rupturas bem direcionadas no espaço público durante vários eventos, com o objetivo de atrair a imprensa (é o caso aqui, pois esse clichê será captado na mídia e amplamente divulgado). Nas palavras de Louise Weiss, é realmente necessário "lançar o feminismo na arena dos assuntos atuais" por meio de intervenções originais (muitas vezes irônicas e provocativas), sem hesitar em perturbar a ordem pública ou perturbar os homens. em seus hábitos, para “sacudir a inércia” de consciências e práticas.

E o processo parece bem estabelecido, já que os pôsteres e o microfone foram preparados. Isso porque os ativistas não estão em sua primeira tentativa: eles organizam um lançamento de balões vermelhos cheios de panfletos no estádio onde está sendo disputada a final da Coupe de France (junho de 1936 ); distribuir não-me-esqueças (flor que significa simbolicamente "Não me esqueça") aos deputados (junho de 1936); ofereça meias aos senadores com a inscrição "Mesmo que você nos dê o direito de votar, suas meias serão consertadas" (junho de 1936); ocupar a pista do autódromo de Longchamp, durante o Grande Prêmio, com cartazes com a inscrição "A França deve votar" (junho de 1936); ou mesmo ligados entre si para impedir o tráfego na rue Royale em Paris em julho de 1936.

Em todos esses precedentes, como no representado por esta fotografia, o efeito de surpresa e lacuna (entre o cenário ou a natureza do evento de um lado e a mensagem sufragista de outro) buscado dá mais ressoar com a mensagem e as demandas. Aqui, o cenário é ideal, simbólico em mais de uma maneira: é antes de tudo Paris (capital, lugar de poder e metonímia da França) que é uma época o centro das atenções internacionais (para o Exibição); mas também de um encontro precisamente dedicado à modernidade (arquitetônica), ao qual as sufragistas afirmam denunciar o arcaísmo daqueles que se opõem ao voto feminino. Entendemos então que a mulher francesa (membro deste país moderno) devo voto.

  • voto feminino
  • sufrágio universal
  • feminismo
  • mulheres
  • Weiss (Louise)
  • Exposição Universal de 1937

Bibliografia

BARD, Christine. Marianne's Daughters: History of Feminisms 1914-1940. Paris: Fayard, 1995.

BARD, Christine. Mulheres na sociedade francesa no século 20, Paris, Armand Colin, 2001.

BOUGLE-MOALIC, Anne-Sarah. Le Vote des Françaises, cem anos de debate, 1848-1944, Rennes, Presses Universitaires de Rennes, 2012.

BERSTEIN, Serge. França na década de 1930, Paris, Armand Colin, coleção Cursus, 2003.

BERTIN, Célia. Louise weiss, Paris, Albin Michel, 1999

HUARD, Raymond. Sufrágio universal na França Paris, Aubier, 1991.

WEISS, Louise. Que mulher quer, Paris, Gallimard, 1946.

Para citar este artigo

Alexandre SUMPF, "1937:" ações "feministas"


Vídeo: Concurso PMSP - CFSd - História - Crise da República Velha - Prof. Brenão